Como o ex-presidente Collor, pré-candidato à presidência em 2018, está no Ranking dos Políticos?

Fernando Affonso Collor de Mello é membro do Partido Trabalhista Cristão (PTC). Está em seu segundo mandato como senador por Alagoas (desde 2007), e é avaliado pelo Ranking dos Políticos desde o início da segunda legislatura, em 2015.

Collor assina renuncia ranking politicos

Fernando Collor assinando sua renúncia ao cargo de Presidente da República, 1992

 

Foi também prefeito de Maceió (1979-1982), deputado federal (1983-1987), governador de Alagoas (1987-1989) e presidente da república (1990-1992), cargo ao qual renunciou antes de sofrer impeachment pelo crime de responsabilidade fiscal. Neste processo, Collor foi absolvido do crime de corrupção pelo STF em 1994 por falta de provas. Nova absolvição também ocorreu no STF em 2014, quanto às acusações de desvio de dinheiro público, falsidade ideológica e corrupção passiva, também por falta de provas. Outras acusações prescreveram por lentidão da justiça. 


Atualmente, o senador é novamente réu no STF sob as acusações de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, no âmbito da operação Lava-Jato.

Fernando Collor totaliza 24 anos de carreira política, e é pré-candidao à presidência da república nas eleições de 2018.

Quais são suas posições? Quanto gasta? Responde a processos? Analise os fatos e dados que apresentamos aqui, e forme sua opinião sobre o parlamentar.

 

Manifestações Públicas

 

“Digo a vocês que esse é um dos momentos mais importantes da minha vida pessoal. Hoje, a minha decisão está tomada: sou, sim, pré-candidato à Presidência da República [em 2018]”, afirmou recentemente o senador alagoano, que participou de um evento na cidade de Arapiraca, no interior do Estado, com a prefeita, Célia Rocha (PTB).

O senador também defende uma reforma defendeu um ampla reforma no texto constitucional via uma assembleia constituinte, de modo a torná-lo mais enxuto, claro, direto, de modo a não gerar dúvidas de interpretação.

“Por consequência, essa revisão acarretará, obrigatoriamente, nas reformas essenciais de que o Brasil necessita, como aqui já dito. A reforma política, incluindo o novo Pacto Federativo e uma nova organização do Estado e seus poderes. A reforma tributária, dentro de um modelo simplificado e de recolhimento digitalizado. A reforma fiscal, baseada num sistema mais equilibrado e responsável. E, por fim, a reforma previdenciária, com base numa ordem mais justa e atualizada, respeitados os direitos adquiridos”, declarou o senador.

(via Senado Federal)

 

Colocação

 

Na posição 458 (14/05/2018) entre 594 parlamentares avaliados desde 2015, Collor perde 24 pontos em presença nas sessões por comparecer em 283 (menos que a média dos demais parlamentares) das 348 sessões no Senado Federal. Por ter gasto R$ 1.257.677,72 da Cota Parlamentar (acima da média de gastos dos demais parlamentares), perde 3 pontos no critério privilégios. Perde 60 pontos em processos judicias por responder a inquérito no STF, em investigação sobre corrupção e lavagem de dinheiro. De acordo com as investigações, o parlamentar teria recebido cerca de R$ 26 milhões em propina do esquema de corrupção da Petrobras entre 2010 e 2014. Também responde a outro inquérito por corrupção passiva, ainda na operação Lava-Jato

 

Em Qualidade Legislativa, o parlamentar ganha 55 pontos devido às suas posições nas principais votações do Senado.

 

Privilégios

 

Até o dia 24/04/2018, Fernando Collor consumiu R$ 1.273.677,72* da Cota Parlamentar. Os gastos mais expressivos foram com:

 

 

• Contratação de segurança privada: R$ 951.630,47

• Contratação de consultorias e afins: R$ 226.000,00

• Divulgação da atividade parlamentar: R$ 96.000,00

 

* desde 2015

Chama a atenção a despesa de R$ 951 mil com segurança privada, desde 2015. Por ser ex-presidente da república, Collor já tem direito vitalício a 4 seguranças. Porém, além disso, o senador gasta quase R$ 25 mil por mês para reforçar sua proteção.

 

Posições adotadas

 

Seguem abaixo as votações que mais contribuíram para sua pontuação no critério Qualidade Legislativa:

 

Decisão do afastamento de Aécio Neves: Não | -30 pontos

 

Impeachment de Dilma Rousseff: Sim | +25 pontos

 

Reforma Trabalhista: Não | -20 pontos

 

Fim do foro privilegiado: Sim | +30 pontos

 

Reforma do ensino médio: Sim | +20 pontos

 

Avaliação popular

 

Na página do parlamentar no Ranking dos Políticos, sua avaliação por parte do público que acessa o site é de 1,5/5. 95% dos avaliadores consideram Collor um ‘péssimo’ na total de 140 avaliações.

 

E aí, qual opinião sobre o senador? Comente.

 

Confira também os Fatos e Dados sobre

 

Jair Bolsonaro

 

Gleisi Hoffmann

 

Romero Jucá

 

Aécio Neves

 

Romário

 

Cristiane Brasil

 

Álvaro Dias

 

Vanessa Grazziotin

 

Ronaldo Caiado

O que achou?

%d blogueiros gostam disto: